Treinamento

Passeio

MAPA

mapa ATUAL.jpeg

03º 52' 23'' S             32º 25' 47'' O

81

985655712​

11

998626175

 

 

Praia do Porto Sto. Antônio​

 

 

Fernando de Noronha - PE

Iniciação

LOCALIZAÇÃO

HORÁRIO

    As Canoas Polinésias também conhecidas como havaianas, outriggers, wa’a ou va’a (nome pelo qual são conhecidas internacionalmente), foram usadas como meio de transporte nas ilhas do Pacífico, desempenhando um papel fundamental no processo de colonização daquela região. As embarcações eram simples, funcionais e versáteis, construídas com ferramentas rudimentares de pedras, ossos e corais, dois grandes pedaços de árvore unidos e uma vela central, feita de fibra de coco. Grandes distâncias percorridas em mar aberto conferiram às canoas um valor sagrado, integrado às práticas e rituais que caracterizavam a tradição religiosa e familiar.

   As guarnições se aventuravam no mar em expedições entre as ilhas, utilizando o outrigger não apenas como meio de transporte, mas como principal instrumento de exploração do triângulo polinésio. As viagens eram muitas vezes guiadas pelos movimentos das aves, correntes marítimas ou direção do vento, em um processo migratório que possibilitou, dentre outras coisas, a descoberta do Havai há cerca de 3.000 anos. Outros barcos menores, com apenas um casco (feito a partir de um único tronco) eram utilizados em travessias menores e transporte local. Eram as famosas canoas, que até os dias de hoje são utilizadas, com algumas adaptações e modificações fruto da evolução tecnológica. A importância do wa’a na tradição polinésia decorre também do processo de transmissão do conhecimento entre as gerações. As crianças mais aptas eram escolhidas para receber os fundamentos da navegação, como ventos e correntes, vôo das aves, referências geográficas e astronômicas, bem como os rituais de construção e preparação das canoas para enfrentarem o mar.

    A construção de uma canoa polinésia começava com a escolha de uma árvore na floresta, que passaria a ser cultuada e reverenciada pelas crianças escolhidas para receber o legado, até o momento em que os deuses da natureza davam permissão para que a canoa fosse construída. Desse modo, as canoas tornaram-se essenciais na vida das civilizações que habitaram o triângulo polinésio em toda sua extensão. Sempre associadas ao Havai, Tahiti, Polinésia Francesa e Ilha de Páscoa, o outrigger também faz parte da realidade da Malásia, Papua Nova Guiné, Indonésia, Filipinas, Austrália e Sudeste Asiático, havendo relatos também de sua presença em Madagascar, onde uma canoa muito similar era utilizada pelos nativos para a pesca e expedição. Em respeito à história dessa embarcação, vários rituais e tradições são mantidos até hoje. Com a ocupação européia, em especial no Havai a partir de 1820, a canoagem foi preterida enquanto esporte, e a prática somente voltou a ganhar força em 1876. O primeiro clube de canoas havaianas foi fundado em 1908. Na década de 70, o esporte se expandiu na Austrália e atualmente encontra-se difundido em todo o mundo. No Brasil, a difusão teve início em 2000 a partir de núcleos no Rio de Janeiro, São Paulo e Santos, que posteriormente vieram a resultar na fundação de novos clubes nestes e em outros estados do país.